Tetos vivos

Também chamados de Tetos Verdes. É uma técnica de cobertura de habitações das mais antigas, pois com simplicidade protege tanto do frio quanto do calor. Sempre foram muito usadas em países ao norte da Europa. Atualmente pela busca de recursos sustentáveis, onde a economia de energia é uma prioridade, alguns países como a Alemanha, instituíram campanhas para o desenvolvimento da tecnologia. A Alemanha possui agora mais de 10% das coberturas do país em Tetos Vivos. São empresas, hospitais, vilas residenciais com telhados ajardinados. O resultado estético é maravilhoso, proporciona mais espaço para as aves, desloca o solo vegetado da área construída para o teto, não se perdendo importante quantidade de trocas gasosas que melhoram a qualidade do ar que respiramos. As plantas dos tetos vivos também absorvem CO2 durante sua fotossíntese,

liberando nosso tão importante O2.

 

A quantidade de energia economizada e o senso de responsabilidade ambiental são tão grandes, que empresas como a Ford em Michigan – USA (Ford Dearborn Truck Plant) tem mais de 40 mil m2 de tetos vivos, com a finalidade de economizar energia e promover habitats para a vida silvestre. Com a mesma preocupação a Rolls-Royce em Goodwood – Inglaterra,

possui mais de 22 mil m2 em tetos vivos.

          

Alguns hotéis mundo afora, promovem visitas ao seus tetos vivos e alguns tem lá no alto produção de

ervas usadas em seu restaurante.

          

É grande a valorização de marcas conforme cresce a conscientização em torno do tema de mudanças climáticas, crescendo também a demanda por produtos e serviços que ajudam a reduzir a pegada ecológica de pessoas e empresas. As iniciativas que levantam essa bandeira tem como alvo um público consumidor disposto a dar preferência a produtos que assumem as responsabilidades de suas ações sobre o planeta de hoje e ajudam a construir um planeta melhor para amanhã.

 

Os tetos vivos construídos com campo nativo são rápidos de realizar, mais baratos e existem neles grande diversidade de espécies de plantas, o que é de grande benefí­cio ao meio biológico e para a sua adaptação às novas condições de pouco substrato, insolação e drenagem. O volume do seu crescimento aumenta a quantidade biológica do telhado e melhora o efeito térmico. Outros tipos de plantas proporcionam excelentes telhados, podendo requerer mais atenção na implantação.

 

Economicamente, um Teto Vivo se torna um grande aliado em um curto espaço de anos, pois os custos de manutenção de uma superfí­cie não viva aumentam enquanto os custos de manutenção dos telhados verdes diminuem com os anos.

 

Com implementação adequada, este tipo de construção, apresenta uma série de vantagens que podem ser observadas por três diferentes aspectos: econômico, ecológico e estético. Os telhados verdes podem ser classificados quanto a sua utilização e tecnologia de construção em telhados verdes extensivos e telhados verdes intensivos.

 

Seu teto pode ser uma horta, um jardim produtivo, uma zona de filtragem de águas usadas ou apenas um campo de relva que está ajudando nosso planeta a respirar melhor.

 

A proposta de Minke é plantar combinações de vegetações em pátios e jardins, sobretudo intensificar o plantio de coberturas verdes em fachadas e sobre telhados de prédios das cidades. Com tais procedimentos, estima que o clima urbano voltaria a ser saudável se houvesse a implantação de 10 a 20% de telhados vivos entre as áreas cobertas. Isto se explica pelo fato de um telhado vivo gramado, de crescimento natural sem cortes, oferecer 5 a 10 vezes mais cobertura vegetal que

uma área idêntica de parque público.

 

Durante as visitas do alemão Arq. Gernot Minke ao Brasil, Carlos Arno Jensen teve o prazer de receber sua assessoria num grande teto vivo e posteriormente foi seu aluno, e de lá para cá não consegue mais fazer outro tipo de cobertura.

 

Oficinas, projetos, assessorias e execução de tetos vivos extensivos podem ser avaliados.

 

O primeiro argumento a favor dos tetos verdes é que são fantásticos, mas há ainda muitos outros que deixam claro que é uma das soluções mais eficientes para os telhados de edifícios.

                                                                              Se quiser mais informações Clique aqui>

© pousonaserra